Ministério Jezabel.

   Mas tenho contra ti que toleras a mulher Jezabel, que se diz profetisa, ela ensina e seduz os meus servos a se prostituírem e a comerem das coisas sacrificadas a ídolos.

 Apocalipse 2:20

   Fiel é esta palavra: Se alguém aspira ao episcopado, excelente obra deseja. É necessário, pois que o bispo seja irrepreensível, marido de uma só mulher, temperante, sóbrio, ordeiro, hospitaleiro, apto para ensinar..... Os diáconos sejam maridos de uma só mulher, e governem bem a seus filhos e suas próprios casas.

1ª  Timóteo 3: 1 a 12.

   A mulher aprenda em silêncio com toda a submissão. Pois não permito que a mulher ensine nem tenha domínio sobre o homem, mas que esteja em silêncio.

1 ª Timóteo 2 : 11 e 12.

   Alguém que seja irrepreensível, marido de uma só mulher, tendo filhos crentes que não sejam acusados de dissolução, nem sejam desobedientes. Pois é necessário que o bispo seja irrepreensível.....

 Tito 1:6 a 8.

   As mulheres estejam caladas nas igrejas, porque lhes não é permitido falar....perguntem em casa a seus próprios maridos, porque é indecoroso para a mulher o falar na igreja.... Se alguém se considera profeta, ou espiritual, reconheça que as coisas que vos escrevo são mandamentos do Senhor. 

1ª Coríntios 14: 34 a 37.

   Abordarei a seguir o movimento feminista nos ministérios e não o trabalho de mulheres cristãs. Temos mulheres santas, sábias e prudentes que estão desempenhando com louvor o seu papel na igreja assim como instituído por Deus em sua palavra. Mesmo porque tem homens que estão a frente nos púlpitos e não honram as calças que vestem e muito menos a liderança que tentam exercer. Temos ministérios liderados por homens que também estão fora dos padrões divinos, e que serão assuntos a serem levantados em outros estudos. 

   Deus é mais exigente na maneira que o servimos do que com o fato de servi-lo. Tanto é que em 1ª Samuel 15:22 está escrito que é mais importante obedecer do que sacrificar. Vou primeiramente lembrar uma passagem do livro de 2ª Samuel que vai ilustrar bem isso. Vamos ao texto:

   Tornou Davi a ajuntar todos os escolhidos de Israel..... com todo o povo que tinha consigo para trazerem dali para cima a arca de Deus, a qual é chamada pelo Nome.... e Uzá e Aiô, filhos de Abinadabe, guiavam o carro novo..... Quando chegaram à eira de Nacom, Uzá estendeu a mão à arca de Deus, e pegou nela, porque os bois tropeçaram. Então a ira do Senhor se acendeu contra Uzá, e Deus o feriu ali, e Uzá morreu ali junto à arca de Deus. E Davi se contristou....., Davi, pois, teve medo do Senhor naquele dia. 

2ª Samuel 6: 1 a 9.

    Veja que Uzá estava cheio de boas intenções, queria ajudar, mas desobedeceu a DEUS no que diz respeito as suas normas, pois a arca só poderia ser tocada por uma classe especial de sacerdotes, o que não era o caso de Uzá, e esta desobediência lhe custou a vida, hoje as pessoas não morrem fisicamente, mas temos verdadeiras múmias espirituais sentadas nas igrejas apenas ocupando espaço por conta da desobediência, não só no que diz respeito a este assunto mas a muitos outros.

   Antes de qualquer argumentação vou deixar clara a diferença entre duas palavras: VALOR e FUNÇÃO. Quando pessoas que estão defendendo a visão bíblica sobre este assunto elas não estão questionando o valor das mulheres, o qual é o mesmo de homens, não estamos fazendo ACEPÇÃO de pessoas e sim DISTINÇÃO. Uma pessoa tem o mesmo valor da outra, independente do sexo, mas a função de pastorear e exercer autoridade no ministério da Palavra cabe apenas a homens, segundo os textos citados no inicio e toda a ideia da bíblia.

   Vou tomar como exemplo um quartel, nele temos várias patentes distribuídas entre as pessoas, estarei citando apenas três delas: Soldado, cabo e sargento, os três são pessoas, seres humanos, e tem o mesmo VALOR, mas apesar disso tem FUNÇÕES diferentes, a isto neste caso chamamos hierarquia militar, os soldados estão submissos aos cabos, os cabos por sua vez ao sargento. Na formação da igreja temos o mesmo modelo, mulher, homem e JESUS, as mulheres submissas aos homens e ambos submissos a JESUS CRISTO. Vejam os textos:

   Quero, porém, que saibais que Cristo é a cabeça de todo homem, o homem a cabeça da mulher, e Deus a cabeça de Cristo.

1ª coríntios 11:3

   Porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja, sendo ele próprio o Salvador do corpo.

Efésios 5:23

   No meio secular como no exército são abertas vários tipos de exceções, não vou citá-las, mas a igreja não pode seguir o exemplo do mundo como está fazendo. Com o passar dos tempos o mundanismo foi adentrando cada vez mais nos ministérios e hoje temos verdadeiras aberrações ministeriais. Temos os ministérios comandados por homossexuais, lésbicas e ate mesmo por mulheres heterossexuais, mas esta é a pena que estamos pagando por permitimos que o maldito espírito de Jezabel subisse aos púlpitos e exercesse autoridade sobre os homens. Veja que Jesus disse em apocalipse 2:20 que ‘ feriria de morte aos filhos ‘dos que tolerassem Jezabel, e como eu disse, hoje a maioria dos ministérios são compostos por verdadeiras MÚMIAS ESPIRITUAIS, só se esquecem de cair, mais espiritualmente falando estão mortos. 

   Vou levantar dez pontos bíblicos para provar que esta ABERRAÇÃO de ordenar ‘ pastoras ‘ ou mesmo mulheres exercendo autoridade nos púlpitos e anti-bíblica e se é anti-bíblica e contra a vontade de DEUS.

   1º: A autoridade da Bíblia. Quando uma pessoa vai contra as verdades da vontade de Deus revelada em sua palavra está sendo rebelde ao próprio Deus e com isso trazendo sobre si e sobre quem a sequem verdadeiras maldições, qualquer evangelho diferente dos contidos na bíblia é pura maldição, veja o que diz o apóstolo Paulo: 

   Como antes temos dito, assim agora novamente o digo: Se alguém vos pregar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema. ( maldição )

Gálatas 1: 9

   Observe que a ordem de não permitir que a mulher ensine a Palavra vem dos escritos de Paulo

    2º: A ordem na sequência da criação. Em Gênesis 2:7 fica claro que Deus criou primeiro o homem e depois trouxe a presença dele todos os animais da terra, dos mares e dos céus. È claro que intenção de Deus era mostrar a Adão o papel e a relação do macho e da fêmea na natureza, após isso temos em Gênesis 2: 22 e 23 o relato da criação da mulher, Deus poderia ter criado os dois juntos, mas fez Eva DEPOIS. O que prova qual era e ainda é a intenção de Deus quanto ao papel da mulher na criação, e estes relatos precedem a queda da espécie humana o que deixa claro que a hierarquia é valida mesmo antes da entrada do pecado no planeta terra.

   A mulher aprenda em silêncio com toda a submissão. Pois não permito que a mulher ensine, nem tenha domínio sobre o homem, mas que esteja em silêncio. Porque primeiro foi formado Adão, depois Eva. E Adão não foi enganado, mas a mulher, sendo enganada, caiu em transgressão; salvar-se-á, todavia, dando à luz filhos, se permanecer com sobriedade na fé, no amor e na santificação.

1ª Timóteo 2: 11 a 15

   3º: A função da mulher. Podemos ver que a função da mulher é ajudar não comandar. Em Gênesis 2: 18 a 20 podemos ver o uso de palavras como AUXILIADORA e AJUDADORA o que dá uma clara idéia de SUBMISSÃO, ideia esta defendida por todos os escritores da Bíblia e também pelo autor dela, pois creio plenamente que as escrituras expressam a vontade de Deus e não as dos homens que Ele usou para escrever.

   Disse mais o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora que lhe seja idônea.

Genesis 2:18

    4º: A entrada do pecado. Podemos ver expressamente que a mulher foi quem primeiro desobedeceu a Deus, e que após a queda a ideia de AJUDADORA passou a ser de SUBMISSA, veja o que em Gênesis 3:16 é usada a expressão: E o teu desejo será para com o seu marido e ele te DOMINARÁ. Ser dominada é no mínimo ser submissa, e creio eu que quem desobedece este principio não desobedece ao homem e sim a Deus. Deixo claro que não estou defendo a ideia de OPRESSÃO masculina e sim de GOVERNO. Pode ser o cabeça sem oprimir, veja que o texto de 1ª coríntios diz que Cristo é O cabeça de todo homem, e eu como homem me sinto submisso e governado por Cristo e nunca oprimido.


   E à mulher disse: Multiplicarei grandemente a dor da tua conceição; em dor darás à luz filhos; e o teu desejo será para o teu marido, e ele te dominará.

Gênesis 3:16

   Quero, porém, que saibais que Cristo é a cabeça de todo homem, o homem a cabeça da mulher, e Deus a cabeça de Cristo.

1ª coríntios 11:3

   5º: As doze tribos de Israel. Se examinarmos as escrituras poderemos ver que havia mulher entre os filhos de Israel como descrito em Gênesis 34:3. Então porque Deus não permitiu que nenhuma mulher figurasse como sendo cabeça de uma tribo? Percebe-se ai mais uma vez a vontade de Deus em relação ao papel do homem e da mulher no que diz respeito à submissão, liderança e governo. Lembre-se que Israel era um tipo da igreja de hoje, ou seja; um ' modelo'.

 

   6º: Os escritores da Bíblia. A bíblia sagrada tem cerca de quarenta autores, e nenhum deles foram mulheres. Mesmo os livros que levam o nome de mulheres foram escritos por homens, como se explicaria isso. Não estou dizendo que a mulher tenha menos capacidade mental ou intelectual que os homens, pois não penso assim. Fica claro ate nisto que o papel de liderança cabe a homens, Deus em sua infinita soberania provou isto ate mesmo quando escolheu apenas homens para escrever os livros que compõe a Bíblia.

 

   7º: Os doze apóstolos. Para quem defende que a ideia do homem governar servia apenas para Israel, que era um tipo da igreja no antigo testamento, poderá ver também que o mesmo tipo de modelo se aplica a igreja, Jesus escolheu doze homens pra nomear os apóstolos, e havia mulheres dignas entre seus seguidores, e mesmo após a morte de Judas o lugar dele foi preenchido por um homem, sendo que havia mulheres piedosas entre eles. Vemos aqui também a liderança masculina na formação da igreja, mas vamos a mais alguns argumentos bíblicos para jogar por terra de uma vez por todas o mito feminista da liderança da mulher nos ministérios.

   8º: MARIDO de uma só mulher. O apóstolo Paulo divinamente inspirado escrevendo ao seu cooperador Timóteo coloca expressamente as qualificações de um líder e ele deixa clara a expressão ' marido de uma só mulher '. Só uma pessoa do sexo masculino pode preencher este requisito, Paulo estava levantado dois pontos, o líder não poderia ser bígamo ou adúltero e tinha de ser HOMEM. Poderia está exigido neste texto apenas ao primeiro aspecto, porque descreve os dois? Porque não diz MARIDA ou ESPOSA, leia o texto de 1ª Timóteo 3: 1 a 7 e comprove.

   9º: A proibição expressa de DEUS através dos escritos de Paulo. Eu poderia dizer que o apóstolo Paulo proibiu as mulheres de ensinar nas igrejas, mas em 2ª Pedro 1:21 está escrita que TODA a escritura sagrada foi divinamente inspirada, então os escritos de Paulo nada mais é do que a perfeita vontade do próprio DEUS. E o próprio Paulo escrevendo aos coríntios na sua 1ª carta no capitulo 14 no versículo 37 diz que as coisas que ele escreve são mandamentos do SENHOR, logo tem de serem seguidos e obedecidos todos os ensinamentos a igreja, e veja o que Paulo escreveu:

    A mulher aprenda em silêncio com toda a submissão. Pois não permito que a mulher ensine nem tenha domínio sobre o homem, mas que esteja em silêncio.

1 ª Timóteo 2 : 11 e 12.

   As mulheres estejam caladas nas igrejas, porque lhes não é permitido falar....perguntem em casa a seus próprios maridos, porque é indecoroso para a mulher o falar na igreja.... Se alguém se considera profeta, ou espiritual, reconheça que as coisas que vos escrevo são mandamentos do Senhor.

1ª Coríntios 14: 34 a 37.

   Podem perfeitamente ignorar ou mudar estes conceitos, mas vão colher cada vez mais as consequências por estes atos. E já que é pra desobedecer porque não o faz como um todo abole de uma vez todos os ensinamentos trazidos a nós por Paulo com a maneira correta de praticar a Ceia do Senhor, sobre a ressurreição dos mortos, arrebatamento....................e outros ensinos.

   Observação importante: Nenhuma mulher pode tomar o lugar do homem na liderança de um púlpito sem violar a própria palavra que tentar ensinar.

   10º: O gênero masculino no uso das palavras. Quando se refere a liderança a Bíblia usa o gênero masculino não só a palavra marido, mas também a títulos, palavras que denotam liderança como: PASTOR, BISPO, APÓSTOLO, DIÁCONO, ANCIÃO, MINISTRO, DESPENSEIRO, JUIZ, SACERDOTE  E PRESBÍTERO aparecem apenas escritas nesta forma, eu não vi ainda palavras como, pastoras, bispas, apóstolas, diaconisas, anciãs, ministras, despenseiras, juízas, sacerdotisas, presbíteras ou outras aberrações gramaticais na bíblia, vejo e muito entre os que distorcem a palavra na escrita, no uso e no sentido das mesmas. Mas estas pessoas que usurpam o papel de lideres deveriam estudar mais a Palavra que eles dizem pregar, se bem que se o fizessem deixariam os púlpitos e voltaria aos seus devidos lugares.

   Tive o cuidado de fazer uma busca em toda uma Bíblia que tenho estalado em meu computador para ver realmente o que está escrito, ao menos na versão que uso as palavras aparecem escritas este numero de vezes: 

Distribuição dos títulos de liderança em quantidade

Título

Singular

Plural

Total

Pastor

42

54

96

Bispo

2

3

5

Apóstolo

17

57

74

Presbítero

1

 

1

Diácono

 

4

4

Ancião

17

 

17

Ministro

14

24

38

Despenseiro

3

8

11

Juiz

37

51

88

Sacerdote

436

371

807

Total Geral

1.141

   Em nenhuma parte da escritura de Gênesis 1:1 a Apocalipse 22:21 alguma destas palavras que denotam ideia de liderança é encontrada na Bíblia escrita no gênero feminino, ao menos na versão que uso. Mas no gênero masculino entre verdadeiros e falsos no singular e no plural estas palavras aparecem 1.141 vezes, me resguardo o direito de afirmar isso baseado na versão eletrônica de uma Bíblia que tenho.

   Seria bom se as feministas ou as pessoas que as seguem soubessem a diferença entre as palavras: Valor e função, distinção e acepçãopermissão e vontade, regra e exceçãoauxiliar e liderar. Mas pedir isso para quem não pesquisa sequer o que significa o gênero das palavras seriam pedir demais para saber o significado e sentido das  mesmas.

   Desafio: Baseado na versão que tenho da Bíblia eu lanço um desafio, se alguém encontrar um nome destes que citei e que denota liderança na forma feminina eu retiro o artigo do meu site, me retrato aqui mesmo sobre o assunto e me comprometo a colocar uma postagem defendendo o “pastorado” feminino da pessoa que encontrar tal termo. Mas se for argumento de “achismo religioso” pode ficar pra si próprio e quem não estuda as escrituras sagradas.

   A palavra submissa sim aparece por cinco vezes na Bíblia e todas fazem referencias as mulheres serem submissas aos maridos, já a palavra submisso na forma masculina só aparece duas vezes e em nenhuma faz referencia a submissão do homem a mulher em nenhum sentido, sabemos que para se pregar tem de se usar de autoridade sobre os ouvintes. Diante destes dados fica uma pergunta e um dilema para o esposo de uma “pastora” ou de uma mulher que “pregue” a palavra. Ele deixa de ser esposo dela no momento que ela está pregando ou ela não usa de autoridade na pregação? Pensem nisto.

   Temos dois termos que denotam liderança que aparece nos dois gêneros, que são eles rei e profeta. Vamos analisar todos os casos onde ocorrem as palavras no gênero feminino e as pessoas citadas para ver se as FEMINISTAS teriam razão para se basear nelas para usurpar os cargos de liderança nas igrejas, ou eu não diria usurpar, mas simplesmente receber de “bandeja” das mãos dos Baraques e dos Acabes da vida que estão à frente nos ministérios.

   Rei: Este título é citado 2.2190 vezes no masculino e 54 vezes no feminino, rei é um cargo político e não eclesiástico, por isso eu não deveria ter citado. Mas para não dizer que fui negligente pelo fato de uma mulher da nação judaica ter assumido este cargo em uma nação ímpia eu vou analisar todos os casos que ocorre esta palavra no feminino e ver se isto dá o direito a uma mulher ensinar ou ocupar cargo de liderança em uma igreja.

   Por 11 vezes a Bíblia cita a rainha de Sabá, esta era uma nação ímpia, portanto descartado qualquer argumento.

   Por 10 vezes é citado a rainha Vasti, que antecedeu a Ester, outra nação ímpia, descartada.

   Por 5 vezes é citado a rainha do céu, um nome de um demônio, descartado também.

   Por 1 vez apocalipse 18:7 cita a palavra rainha fazendo uma comparação com o que a igreja regida pelo espírito de Jezabel pensa ser, sem comentários.

   Por 3 vezes aparece no plural, mas não faz referencia a nenhuma pessoa, descartada de novo.

   Por 2 vezes o livro de Daniel 5:10 cita uma rainha, mas de uma nação ímpia novamente, portanto........ descartado.

   Por 1 vez em 1 Reis 11:19 e citado uma rainha por nome Tafnes, mas do Egito, portanto...... !!!

   Por 4 vezes é citado esta palavra em outros livros, 1 vez em 1ª Reis 15:13, 1 em 2ª Reis 10:13, 1 em 2ª Crônicas 15:16 e 1 em Neemias 2:6, mas todos os casos não merecem destaque, portanto, descartado.

   Por 17 vezes a rainha Ester aparece, e é o único caso a ser analisado. Vamos ao livro de Ester então para ver se nele ou na personagem existe base para se sustentar a HERESIA FEMINISTA de se nomear pastoras e outros ofícios eclesiásticos para mulheres:  

   Primeiro vou falar sobre a escrita do livro, não é minha intenção levantar dúvidas sobre a origem do mesmo ou o direito dele figurar entre os demais da Bíblia, mas é fato que no livro de Ester sequer aparece o nome de DEUS ao passo que o nome do rei ímpio com o qual Ester veio a se casar aparece 187 vezes, não se faz menção do livro de Ester em nenhuma parte dos livros do novo testamento como é o caso dos demais do antigo testamento, não se fala em oração e nem cita nada sobre a lei dos judeus. Não estou levantando dúvidas sobre a origem do livro, mas as questões que citei são fatos verdadeiros e podem ser comprovados com a leitura do mesmo, pois tenho certeza que nada seria acrescentado as Escrituras sagradas se não fosse por expressa vontade de DEUS, mas se percebe claramente que o objetivo deste livro é demonstrar o amor de DEUS mesmo a pessoas que estão afastadas de sua vontade e não colocar o ser humano numa posição privilegiada e muito menos dar base para alguma HERESIA FEMINISTA vinda através do espírito de Jezabel.

    No capitulo 2 verso 10 Ester orientada pelo tio ‘ ESCONDE ‘ sua origem judaica, como muitos cristãos fazem hoje, negam sua fé e origem, Ester não teve obstáculos para se relacionar com um pagão, como muitos ‘ cristãos ‘ fazem hoje, o que mais chama a atenção é que a ‘ AUTORIDADE ‘ estava sempre nas mãos de dois homens, o rei pagão e Mardoqueu, não vi Ester em nenhuma parte usando de autoridade ou tentando ensinar alguém: a maior lição que tiro da leitura deste livro e da bondade de DEUS sobre o seu povo apesar das circunstancias.

   Ester : Este figura entre as pessoas que demonstrou coragem em ocasião oportuna, mas não vejo como uma FEMINISTA pode usar o exemplo de vida dela para usurpar o papel do homem em relação a liderança nos púlpitos, pois ela sempre fez o contrário de uma FEMINISTA pois sempre esteve SUBMISSA ao seu tio e a seu esposo.  Não irei levantar outros pontos sobre este livro nem sobre Ester, pois não vejo nada digno de uma observação séria quando o assunto é autoridade FEMININA no lar ou na igreja. 

   Profeta: Este oficio é citado 445 vezes no masculino e apenas 8 no feminino, vamos analisar todas as ocorrências para checar se alguma destas mulheres exerceram cargos de liderança diante do povo ou se ensinava em público como foi os casos de PROFETAS MACHOS como: Moisés, Elias, Jeremias, João Batista, Jesus Cristo, Paulo e outros.

   Jezabel: Vamos logo ao último caso citado na Bíblia, em Apocalipse 2:20 esta maldita é citada como alguém que não deve ser tolerado, um espírito maligno que inclusive é o tema deste estudo, este demônio criou o MOVIMENTO FEMINISTA e penso que ninguém que queira servir a Deus pode ter ela como base. Então fora com Jezabel.

 

   Miriã: Citada em Êxodo 15:20 como profetisa, esta era irmã de Moisés e Arão, observe que a única coisa que Miriã faz é tocar instrumentos, dançar e cantar como descrito nos versos 20, 21 e 22, não estou dizendo que louvar o SENHOR DEUS não seja importante mas que isso não implica em liderança. E veja que em sua canção ela exalta Moisés como líder citando o no 22, veja que ate quem as FEMINISTAS tomam como baluarte de seus devaneios reconhecem os homens como lideres. Não vejo no caso de Miriã ensino da palavra nem liderança, então... não serve como argumento para as feministas.

   Leia Números 12 e veja o que foi que Miriã ‘ aprontou ‘ com Moisés, tanto é que ela recebeu um castigo diretamente da parte de DEUS, veja no verso 12 que ela se tornou leprosa, foi necessário o verdadeiro líder, no caso meu amigo MOISÉS, clamar a DEUS por misericórdia, só depois disto Miriã foi poupada da lepra.

   Leia Deuteronômio 24:9 e veja que Miriã ficou como exemplo de castigo e atraso para a nação de Israel.

  Débora: Citado como destaque pelas FEMINISTAS que querem usar de liderança ou ser liderados por mulheres o caso de Débora é um ' prato cheio '. Este é mais um que anima as feministas a se levantar contra a ordem divina no que diz respeito à submissão, Débora realmente julgou Israel no momento em que a nação passava por uma situação complicada. Mas vamos consultar as escrituras e ver alguns pontos importantes neste caso.

   - Ela fez seu juizado em seu próprio lar, Juízes 4:5. Veja que ela habitava em um local que recebia seu nome, palmeiras de Débora. Observe que aqui não diz que ela morava no templo ou ensinava o povo, ela foi consultada em sua própria casa e mesmo após isso tentou passar a liderança para o rei Baraque como veremos a seguir.

   - Ela sabia que o papel de liderança não cabia a ela, observe que no verso 6 que ela manda Baraque ir a frente na peleja, mais ele estava ' fraco ' e com medo, não foi sozinho e exigiu a companhia dela, mas no verso 9 ela fala que Baraque seria humilhado pelo fato de uma MULHER está fazendo o papel que cabia à ele que era HOMEM. Débora tinha consciência que o papel de liderança cabia a Baraque, mas parece que naquela época Israel estava sem lideres, observe que a Bíblia faz questão de relatar que a morte de Sísera, que era o rei inimigo, se deu por mão de outra mulher chamada Jael. Mas não vejo Jael dando sermão em ninguém ou tentando assumir a liderança do grupo, ela chamou o rei e lhe relatou como se deu a morte do rei inimigo.

   E observe um detalhe mais que importante neste texto: Apesar de “julgar” Israel Débora sequer recebe o título de “juíza”, mesmo porque a palavra JUIZ aparece 88 vezes na Bíblia mas sempre no gênero masculino, querem inventar títulos de pastoras, bispas, apóstolas, diáconas, diaconisas, presbíteras, anciãs, mestras ou outros? Podem inventar, mas fica mais que claro que estes termos biblicamente falando são verdadeiras aberrações gramaticais. Vamos ao texto de Débora pra provar os fatos levantados:   

   Mas os filhos de Israel tornaram a fazer o que era mau aos olhos do Senhor...... Ora, Débora, profetisa, mulher de Lapidote, julgava a Israel naquele tempo. Ela se assentava debaixo da palmeira de Débora. Mandou-a chamar a Baraque.... Disse-lhe Baraque: Se fores comigo, irei; porém se não fores, não irei. Respondeu ela: Certamente irei contigo; porém não será tua a honra desta expedição, pois à mão de uma mulher o Senhor venderá a Sísera. Levantou-se, pois, Débora, e foi com Baraque a Quedes....  Baraque, pois, desceu do monte Tabor, e dez mil homens após ele... E o Senhor desbaratou a Sísera, com todos os seus carros e todo o seu exército, ao fio da espada, diante de Baraque; e Sísera, descendo do seu carro, fugiu a pé...... Então Jael, mulher de Heber, tomou uma estaca da tenda e, levando um martelo, chegou-se de mansinho a ele e lhe cravou a estaca na fonte, de sorte que penetrou na terra; pois ele estava num profundo sono e mui cansado. E assim morreu. E eis que, seguindo Baraque a Sísera.... Entrou ele na tenda; e eis que Sísera jazia morto, com a estaca na fonte... E a mão dos filhos de Israel prevalecia cada vez mais contra Jabim, rei de Canaã, até que o destruíram.

Juizes 4: 1 a 24

   Não estou dizendo que Deus não estava com Débora naquela época, mas fica claro que ela foi uma exceção a regra. No contexto da situação Deus a usou para desempenhar o papel de julgar, como pode fazer a qualquer momento. Mas tem de se levar em conta que o princípio divino inclui os homens como lideres. Débora que era temente a Deus e sabia que a ela não cabia o papel de líder se recusou a ir à frente durante a batalha, fez porque a situação e as circunstâncias assim a forçaram, mas se Baraque tivesse aceitado o papel que cabia a ele Débora teria ficado ‘ fora ‘ da frente de batalha. Ao contrário das Feministas que independente da situação quer sempre está na liderança.

   Fica aqui uma pergunta para quem se espelha em Débora para exercer seu “apostolado ( a )”. Você já tentou passar a liderança de seu grupo para algum homem? Foi isso que Débora fez, ou no seu meio só tem ‘ Baraques de carteirinha ‘, homens frouxos, covardes e que temem liderar o grupo em frente na batalha. A liderança do ministério nem o ensino da palavra podem pertencer a uma mulher, isso segundo Paulo. As mulheres podem, tem capacidade e devem sim trabalhar no evangelho, mas de acordo com as normas que o próprio evangelho ensina e não segundo ensinamentos mundanos e de pessoas mal intencionadas.

   Se na igreja que você congrega tem mulheres sobre o púlpito pregando ou ocupando cargos de liderança no ministério pode ter certeza que existem duas opções para isso: Ou lá só tem Baraques, Acabes e pessoas do gênero ou ta tudo dominado pelo espírito de Jezabel. Ou mesmo as duas opções juntas: Tá dominado por Jezabel e tem homens que não assumem seu papel sobrando lá.

   Hulda: O relato desta profetisa é feito de modos idênticos em dois trechos da Bíblia: 2ª Reis 22:14 e 2ª crônicas 34:22. Primeira coisa, fica claro e grifado nos dois textos que ela habitava em Jerusalém na segunda parte, ou seja, não ficava no templo pois este foi erguido na parte alta da cidade. Já se ver neste detalhe que ela ‘ repassava ‘ as profecias em casa. O que toda mulher pode e deve fazer: Evangelizar em seu lar.

   Outro ponto importante está escrito que o rei Josias foi o líder em questão, ele servia ao senhor deste sua idade de 8 anos segundo o texto de 22:1, ele como servo de Deus que era não foi exortado como foi o caso de muitos reis de Israel, apenas mandou consultar a profetisa que exercia seu ministério em seu próprio lar para saber qual a vontade de Deus, se houvesse a necessidade dele ser repreendido em seu próprio palácio Deus teria levantado um homem para fazer como foi o caso do profeta Jeremias e o rei Zedequias conforme descrito no capítulo 38 do livro de Jeremias. Não vejo também no caso desta serva de Deus chamada Hulda nenhuma atitude FEMINISTA, ela não pregou em público, isso quem fez foi o próprio rei, ele sim era o cabeça da nação.

   Como eu estou deixando bem claro em todos os pontos deste estudo: As mulheres são usadas por Deus, o que não existe é elas usando de autoridade sobre homens, Hulda não foi ao templo ou ao palácio exortar ou repreender o rei Josias, ele a consultou em sua casa, não vejo também neste caso argumento lógico para uma mulher assumir cargos de liderança ou de ensino da palavra em um ministério e pregar em um templo.

   Noadias: Citada no livro do profeta Neemias 6: 9 a 14, aparece em uma relação de nomes que traem o profeta Neemias e não cita mais nada desta profetisa. Acho que se esta fosse serva de DEUS ou tivesse feito algo notório como liderar o povo ou ensinar a palavra estaria relatado aqui neste texto, portanto esta serve de argumento para combater as Jezabeis e não para justificar sua rebelião contra Deus e sua palavra.

 

   A possível esposa de Isaías: ( não cita o nome ): Texto encontrado no livro de Isaías 8:3 cita apenas que Isaías foi ate a profetiza e ela concebeu um filho, dando a entender que se trata da esposa do próprio profeta. Nada mais é relatado, portanto creio que este não seja um modelo a ser seguido por uma mulher que queira usurpar o lugar dos homens na liderança ou no ensino da palavra.

 

   Ana: Citada no evangelho de Lucas 2: 36 a 38, era uma viúva que servia no templo, com jejuns e orações. Não sei o porquê mais Lucas vez questão de relatar que Ana teve um só marido, casou virgem, viveu casada apenas 7 anos, ficou viúva e se manteve só ate sua velhice que já era de 84 anos, mas acho que é uma tapa de luva na cara das Jezabeis este texto, serve para mostrar que a atitude moral de Ana deveria ser imitado e não o fato dela ter falado algo, será que as Jezabeis observaram estes detalhes no texto ou fazem vista grossa para continuar na promiscuidade sexual que impera hoje no meio evangélico, casa, descasa, fornica, adultera. Mas voltando ao assunto a palavra usada pra Ana é FALAR como escrito no verso 38, aqui não está escrito ENSINAR. PREGAR, EXORTAR, LIDERAR.

   Pois bem, se é pra imitar Ana comece pelas atitudes morais, mesmo porque ela não violou os textos de 1ª Timóteo 2:12 nem 1ª Coríntios 14:34, ela falou formalmente aos que passavam e não fez discurso com sua voz, mesmo se ela tivesse desobedecido os mandamentos, o que não fez, não seria motivo para as outras mulheres continuarem a fazer o mesmo. Portanto......... ! ? !

   Acabou os casos de rainhas e profetisas então vamos analisar a palavra servo. Esta é encontrada 416 vezes no masculino e 73 no feminino, mas SERVO não LIDERA, portanto está descartada do contexto. O servo é uma pessoa comum independente do sexo, ele serve e é liderado e nunca lidera, mas ate neste caso o numero de vezes que a palavra aparece é 6 vezes maior no sexo masculino, ate na escrita do gênero das palavras DEUS foi rigorosamente cuidadoso no que diz respeito a liderança. Mesmo assim vamos analisar todos os casos onde mulheres recebem papel de destaque nas escrituras sagradas como SERVAS, mas que sequer receberam títulos mesmo na forma feminina da escrita e ver se isto lhes concedeu lugar de liderança ou ensino em público:

   Sara: Não é a intenção falar sobre fraquezas ou citar erros das mulheres, mesmo porque homens são passiveis de erros e os cometem também como vai ficar claro aqui, mas vamos analisar a trajetória de Sara e ver se esta serve como exemplo para um feminista. Sara teve um lugar de destaque, acompanhou Abraão como esposa, amiga e porque não dizer cúmplice em algumas situações como descrito em Gênesis 12: 10 a 20 onde “mentiram” dizendo a faraó que eram irmãos, “negando” assim seu matrimônio, cometeram juntos o mesmo erro, ambos riram da promessa de DEUS em lhes conceder um filho ELE em Gênesis 17:17 e ELA em Gênesis 18:12. Ela por ser estéril duvidou da promessa de DEUS em relação ao filho e ‘ ofereceu ‘ a escrava Agar para ser mãe do filho de Abraão, o que foi aceito por ele conforme texto de Gênesis 16: 1 a 8. Fiz uma leitura cuidadosa de toda a história desta serva de DEUS chamada Sara e não vi em nenhum momento ela tentando usar de autoridade sobre seu esposo ou tentando ser ela mesma a “matriarca” da nação de Israel, veja que ela reconhecia Abraão como patriarca ao ponto de pensar que o filho, mesmo sendo somente dele assumiria o papel nos planos eternos de DEUS, mas DEUS cumpriu a promessa na vida dela não por méritos dela ou de Abraão, mas pela soberania e misericórdia eterna que são atributos do Nosso Amado DEUS.

   Veja que o apóstolo Pedro se refere a Sara como uma mulher que OBEDECIA a Abraão e o chamava de SENHOR, além de citar duas vezes que as mulheres têm de ser SUBMISSAS e ter um espírito MANSO e TRANQUILO.

    Semelhantemente vós, mulheres, sede submissas aos vossos maridos; para que também, se alguns deles não obedecem à palavra, sejam ganhos sem palavra pelo procedimento de suas mulheres, considerando a vossa vida casta, em temor. O vosso adorno não seja o enfeite exterior, como as tranças dos cabelos, o uso de joias de ouro, ou o luxo dos vestidos, mas seja o do íntimo do coração, no incorruptível traje de um espírito manso e tranquilo, que és, para que permaneçam as coisas. Porque assim se adornavam antigamente também as santas mulheres que esperavam em Deus, e estavam submissas a seus maridos; como Sara obedecia a Abraão, chamando-lhe senhor; da qual vós sois filhas, se fazeis o bem e não temeis nenhum espanto.

1ª Pedro 3: 1 a 6

   Rute e Noemi: Durante a leitura deste livro o que mais me chamou a atenção foi a amizade entre estas duas mulheres descrita de uma forma extraordinária no capitulo 1 nos versos 16 e 17; me admirou também a capacidade que estas servas de DEUS tiveram em lidar com as adversidades da vida, tomaram iniciativas corretas na hora certa. Este livro apesar de ter como titulo um nome feminino, também foi escrito por um homem como foi o caso do livro de Ester, tem um fundo profético extraordinário no que diz respeito ao papel de REMIDOR desempenhado por Boaz que faz um TIPO do próprio JESUS ao redimir a igreja. Mas vamos ao contexto do livro e das personagens para ver se achamos neles algum argumento digno de ser usado por uma feminista ao ponto de refutar a ideia de submissão descrita por toda a Bíblia.

   Nota se a ideia de submissão plantada no coração de Rute logo no capitulo 2 verso 10, veja que está escrito que ela “se inclinou e postou-se com o rosto em terra” em frente a Boaz, e que no verso 13 Rute demonstra uma humildade sem igual a pessoa de Boaz, no capitulo 3 verso 8 Rute se “deita aos pés” dele. Fica por estes textos ate difícil fazer uma análise com a intenção de refutar alguma ideia feminista, pois as duas personagens do livro durante todo o tempo demonstram uma inexplicável aceitação da ideia de submissão atribuída às mulheres, na verdade eu chamaria de ANALFABETISMO BÍBLICO a atitude de uma FEMINISTA em apoiar a HERESIA de pastorear uma igreja com base nestas servas de Deus, realmente não tem como argumentar. Não vi pessoalmente a necessidade de citar estas duas servas de Deus neste estudo, o fiz porque algumas defensoras de teorias “JEZABELINAS” usam sem conhecimento o nome de Rute e Noemi tentando manchar assim a memória destas VERDADEIRAS servas, este estudo serve também para ‘ defender ‘ Rute e Noemi da falsa acusação de que elas fossem praticantes do “JEZABELISMO” de antigamente conhecido hoje vulgarmente como FEMINISMO.   

   Febe: Citada em Romanos 16:1, Paulo se refere a ela como irmã e no verso 2 Paulo diz que Febe hospedava os cristãos em sua casa inclusive ele, nada mais. Não vejo aqui nenhum indicio que esta santa serva de Deus usava seu lar como lugar de exortação ou ministração da palavra por parte dela. Logo se Febe estivesse em frente à uma FEMINISTA possessa pelo espírito de Jezabel ela mesma pediria a Paulo para expulsar o demônio e repreender a pessoa e colocá-la nos caminhos de Deus.   

   Neste capitulo Paulo cita também o nome de 8 mulheres. Sendo elas, Maria, Priscila, Trifena, Trifosa, Pérsida, a mãe de Rufo, Júlia, Olímpia e a irmã de Nereu. Mas em nenhum destes casos vejo Paulo pedindo à uma destas mulheres para ensinar a palavra, ou dando indícios que elas o faziam, ele as citam como cooperadoras  e irmãs. Apenas isto.

   Em Atos 18: 24 e 26 vemos novamente o nome de Priscila, mas quem está em destaque é exatamente um homem chamado Apolo, no verso 24 ele é chamado de varão eloquente e poderoso nas escrituras, no 25 diz que ele era instruído nos caminhos do Senhor, fervoroso no espírito e que ENSINAVA diligentemente as coisas do Senhor. No verso 26 Priscila e Áquila o observam falar ousadamente e o leva para o seu LAR para debater e ensinar sobre o batismo no espírito santo, fato que Apolo não conhecia, mas veja que ela não prega pra ele em público e penso que a intenção dela era mais aprender do que ensinar, mais um caso onde o espírito de Jezabeis cai por terra.

   No verso 7 deste mesmo capítulo Paulo cita dois nomes, Andrônico e Júnia, e faz uma declaração a parte sobre estas pessoas, ele diz: ‘ Meus parentes e meus companheiros na prisão, os quais se distinguiram entre os apóstolos e que foram antes de mim em Cristo ‘. Tem ai 3 pontos a questionar, primeiro. Júnia seria um nome de uma mulher, de um homem ou poderia ser usado pelos dois gêneros como é hoje, por exemplo, o nome CELIMAR? Segundo. Paulo se refere a estas pessoas como ‘ companheiros de prisão ‘, dando a entender que dividiram a cela com Paulo, nestas circunstancias não seria uma mulher e sim homem. Terceiro. Os quais se distinguiram entre os apóstolos, ENTRE pode significar fazendo parte dos, como no exemplo: João se distingue entre os apóstolos ou querida de uma forma especial, caso fosse uma mulher, como no exemplo: Maria se distingue entre os apóstolos.

   Se estas questões levantadas acima sobre Adrônico e Júnia, que eu creio se tratar de dois homens e não de um casal, for base para uma mulher receber o oficio de “apóstola” mesmo com todas as outras escrituras indo contra esta ideia, pode nomear quantas mulheres com quantos títulos quiserem. Só estou tentado mostrar com base na Bíblia que ofícios de autoridade e o ministério da pregação pertencem unicamente aos homens, Paulo sabia que um apóstolo tinha de ENSINAR e em 1ª Timóteo 2:12 ele proíbe a mulher de ensinar, Paulo estaria se contradizendo? Tenho certeza que não, mas o texto está ai, torça ele quem quiser.

   Eu deixo a quem quer torcer os escritos de Paulo para criar heresias a mesma observação que o apóstolo Pedro fez no texto a seguir: 

   E tende por salvação a longanimidade de nosso Senhor; como também o nosso amado irmão Paulo vos escreveu, segundo a sabedoria que lhe foi dada; como faz também em todas as suas epístolas, nelas falando acerca destas coisas, mas quais há pontos difíceis de entender, que os indoutos e inconstantes torcem, como o fazem também com as outras Escrituras, para sua própria perdição.

2ª Pedro 3: 15 e 16 

    As 4 filhas de Felipe: Citadas em Atos 21:9, simplesmente aparecem como “figurantes” não profetisa nada, Veja que Ágabo, PROFETA MACHO, veio da Judeia para profetizar a Paulo como descrito nos versos 10 e 11. Estranho este caso, 4 profetisas na mesma casa que Paulo estava e quem profetiza em nome de Deus é um profeta de outra cidade, a casa de Felipe onde Paulo estava ficava em Cesareia conforme o verso 8, tenho certeza que o exemplo desta 4 donzelas citadas aqui neste texto serve mais para desencorajar as Jezabeis quando o assunto é autoridade.
   
   Áfia: Citada em Filemom 1:2 apenas como irmã. Nada mais, não li em toda a carta de Filemom esta irmã ser possuída pelo espírito de Jezabel, se comportou como uma boa serva de Deus recebendo a igreja em sua casa conforme descrito no verso 2.

   Vou levantar alguns nomes de mulheres que receberam destaque nas escrituras sagradas e que despenharam com louvor os seus papéis, entre elas: Maria a mãe de Jesus, Maria Madalena, Isabel mãe de João Batista, Maria irmã de Lázaro, Lídia e outras que poderiam ser citadas, estas santas mulheres escolhidas por DEUS para a obra do evangelho desempenharam seus papéis. Mas após estudar as vidas delas e boa parte de textos bíblicos não vi em nenhuma ocasião mulheres dando testemunho público, hospedaram apóstolos, ajudaram financeiramente a igreja, lavaram os pés de Jesus e ungiu o seu corpo para o sepulcro, enfim fizeram coisas importantes, mas sinceramente não vejo nenhuma delas desobedecendo ao mandamento divino em relação à submissão no lar e na igreja. Peço as pessoas que exercem ou defendem o pastorado feminino que leiam e reflitam nos textos bíblicos citados neste artigo e a lógica de toda a estrutura da Bíblia em relação ao assunto. Existe um TIPO que tem de ser respeitado pelas pessoas que anseiam servir DEUS nas normas corretas. 

   Nestes casos acima encerro os exemplos, não tem um digno de um verdadeiro debate com uma FEMINISTA de plantão que queira usar autoridade sobre um homem sequer.

   Agora vou levantar um ponto importante contido nas escrituras: A soberania de Deus em usar meios, coisas, animais ou pessoas para cumprir algum objetivo em situações especificas, mas as exceções não quebram as regras, senão vejamos: 

   Em 1ª Reis 17:4 Deus usou os corvos para trazer comida para o profeta Elias, mas nem todo CORVO é GARÇOM.

   Em Jonas 2:1 Deus usa a baleia para transportar o profeta Jonas, mas nem toda BALEIA é NAVIO.

   Em Números 20;11 Deus tira água da rocha para o povo, mas nem toda ROCHA é TORNEIRA.

   Em Números 22:29 Deus usa uma jumenta pra falar com o profeta Balaão, mas nem toda JUMENTA é INTÉRPRETE. 

   Em Mateus 17:27 Jesus usa um peixe para lhe trazer dinheiro, mas nem todo PEIXE é CAIXA ELETRÔNICO.

   Quero mostrar nestes cinco exemplos que DEUS usa quem ou o que ELE quer da forma e na hora que ele quiser, mas as regras não são quebradas por causa das exceções, em situações especiais DEUS usou mulheres para desempenharem papeis de ' liderança '. Mas assim como corvo não é garçom, baleia não é navio, rocha não é torneira, jumenta não é intérprete e peixe não é caixa eletrônico a mulheres não são lideres. DEUS em sua infinita sabedoria em certas situações usou mulheres, animais e ate mesmo uma pedra para demonstrar este principio de sua vontade. Mas fazer disto um heresia ao ponto de se nomear pastoras, bispas e aberrações do gênero e torcer as escrituras.

   Curiosidade: observem que em todas as genealogias levantadas nas sagradas escrituras nomes de homens são citados como cabeça da família, coincidência ou plano divino, creio ser plano divino, pois a Bíblia é a vontade de Deus revelada ao homem. Ou se aceita a realidade da submissão da mulher no plano familiar e ministerial ou condena-se a Bíblia como um livro “machista”, a escolha é de cada um. Eu prefiro a ideia de submissão, pois questionar a autoridade das escrituras sagradas como vontade divina não teria lógica para uma pessoa que professa a fé cristã.

   Vamos a dois pontos importantes nestes dois textos a seguir que foram extraídos dos livros de Oséias e Apocalipse para uma analise ainda mais séria sobre este assunto:

   O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento. Porquanto rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos.

Oséias 4:6

   Mas tenho contra ti que toleras a mulher Jezabel, que se diz profetisa; ela ensina e seduz os meus servos a se prostituírem e a comerem das coisas sacrificadas a ídolos; e dei-lhe tempo para que se arrependesse; e ela não quer arrepender-se da sua prostituição. Eis que a lanço num leito de dores, e numa grande tribulação os que cometem adultério com ela, se não se arrependerem das obras dela; e ferirei de morte a seus filhos, e todas as igrejas saberão que eu sou aquele que esquadrinha os rins e os corações; e darei a cada um de vós segundo as suas obras.

Apocalipse 2: 20 a 23

   Levando o principio de punição a desobediência citadas nestes dois textos vemos que os filhos dos que desobedecem aos princípios são ESQUECIDOS e MORTOS. Eu ousaria dizer que esta pena está sendo aplicada no contexto ministerial e espiritual, pois cada vez mais os ministérios praticantes de heresias como no caso do FEMINISMO estão “PARINDO” outros “MINISTÉRIOS FILHOS” em maior decadência, já estamos a muitas gerações ministeriais observando isso. Os filhos estão sendo esquecidos e mortos pela palavra verdadeira, quase não se vê mais cultos avivados, não digo barulhentos, e sim avivados, a apostasia e as heresias tomou o lugar da palavra e das verdadeiras demonstrações de poder que eram geradas pelo Espírito nos tempos dos apóstolos como demonstração de arrependimento e mudança de vida.

   Não citarei nomes e nem exemplos, mas se quiserem podem digitar em qualquer site de busca ou no You tube termos como: PASTORAS LÉSBICAS, PASTORES HOMOSSEXUAIS, APOSTASIA NAS IGREJAS ou palavras semelhantes e verão uma enxurrada de exemplos, é uma realidade dos nossos dias, é a Palavra profética se cumprindo como um todo, rejeita a palavra de Deus e os filhos são esquecidos, tolera a apostasia e ensino de demônios e são mortos, isto nos planos físico e espiritual. E contra esta “doença” causada pela apostasia que provoca a “morte espiritual” só existe um “remédio” que é a verdadeira palavra sendo aplicada em sua totalidade.

   Agora a pergunta que fiz a mim mesmo quando estava finalizando este artigo: Afinal de contas o que as mulheres podem fazer em um ministério sério que seque as doutrinas bíblicas?

   Primeiro se for pra cumprir como manda a Bíblia todas as mulheres receberiam os cargos de auxiliar e deveriam ser chamadas assim ou por palavras semelhantes como:

COOPERADORA. AJUDADORA ou mesmo o termo AUXILIADORA que deriva do verbo auxiliar,  são estes os que a Bíblia apresenta. E de profetisa se fosse o caso, porque nos dias de hoje profeta é DOM e não OFICIO. Mas formas afeminadas de títulos que denotam autoridade na igreja creio eu que não devem ser utilizados porque as escrituras nãos os apresentam. 

   Elas podem fazer de tudo que edifica e espalhe o evangelho, como louvar com cânticos, orar, evangelizar a família, vizinhos, acompanhar os esposos ou pais em visitas de evangelismo em hospitais, presídios femininos ou outros lugares acessíveis a mulheres, na manutenção do templo ou mesmo orientando em casa o esposo ou outra pessoa da família do sexo masculino que tenham ofícios no ministério, mais na opinião de Paulo que eu divido com ele o maior ministério que a mulher pode exercer mesmo é em seu próprio lar cuidando da família e oferecendo hospitalidade, achou isso machismo? Leia os textos abaixo então, não os retirei de livros de teoria ou teologia humana, mas da Bíblia. Reflita neles:

   Quero, pois que as mais novas se casem, tenham filhos, dirijam a sua casa, e não deem ocasião ao adversário de maldizer, porque já algumas se desviaram, indo após Satanás.

1ª Timóteo 5 14 e 15 

   Toda mulher sábia edifica a sua casa; a insensata, porém, derruba-a com as suas mãos. 

Provérbios 14:1

   Pois não permito que a mulher ensine, nem tenha domínio sobre o homem... salvar-se-á, todavia, dando à luz filhos, se permanecer com sobriedade na fé, no amor e na santificação.

1ª Timóteo 2 : 12.

   Sinceramente não encontrei em nenhum texto das escrituras sagradas argumentos ou situações que possam dar direito a uma mulher possuir ofícios nos ministérios ou usar de autoridade sobre os homens no lar ou na igreja, pelo que percebi durante as pesquisas que fiz para elaborar este estudo a vontade de DEUS é que as mulheres sejam AJUDADORAS. AUXILIARES E SUBMISSAS. Mas cada um sabe de si, não estou aqui para julgar, só não aceito que uma mulher use de autoridade sobre mim em meu lar ou nas igrejas, e o ensino da palavra no púlpito inclui o uso da autoridade. Portanto sou um dos poucos que acham que só homens estão autorizados por DEUS para tais ofícios.

   Se você é mulher e exerce cargo de ensino e autoridade em seu ministério ou concorda com as que fazem, amém por isso. Cada um tem direito de ‘ servir ‘ a Deus, mas veja se você está servindo Ele nos termos d’Ele e não nos seus. E se você é homem, mas aceita ser pastoreado por uma mulher tudo bem, cada um fica onde se sente bem, mas talvez o que está bom para nós não está para Deus, pensem nisto.

   Há um ano Deus pela sua misericórdia me concedeu a experiência do novo nascimento e implantou em minha alma a certeza da salvação e da vida eterna ao lado d’Ele, após isso venho sempre pautando minhas ideias e procedimentos de acordo com as sagradas escrituras. Apesar de eu nunca ter concordado com as coisas que a “sociedade” prega como se fossem normais. Jamais farei parte de um ministério que tenha na liderança uma pastora ou que defenda ideias feministas.

   Este artigo faz parte de um estudo que se divide em três partes, acesse-o clicando aqui. 

   Que a paz do Nosso Senhor Jesus Cristo seja conosco.

 

   Edigar Caires Lima